Não é mais obrigatório que as companhias aéreas divulguem as taxas de bagagem

Taxas de bagagem pesada podem ser uma dor no "você-sabe-o" e, infelizmente, essas sobretaxas sorrateiras só vão piorar para os passageiros.

O Departamento de Transportes dos EUA (DOT) anunciou que as companhias aéreas e os sites de reserva de terceiros não precisam mais divulgar as taxas de bagagem quando os viajantes reservarem. A regra, que foi proposta durante o governo Obama, foi inicialmente empurrada para fornecer aos viajantes maior transparência. Rescindindo as políticas da era Obama, no entanto, o governo Trump disse que as regras teriam "benefício público limitado", segundo um relatório no The Hill .

Foto cedida pela Shutterstock

O DOT também anunciou que planeja descartar um esforço que force as companhias aéreas a revelarem quanta receita elas retêm da cobrança de taxas acessórias. Atualmente, as companhias aéreas devem exibir informações sobre taxas de serviço opcionais em seus sites, mas muitos afirmam que isso é difícil de descobrir até que eles estejam no final do processo de reserva. Além disso, as companhias aéreas não precisam divulgar quanto cobram por acessórios opcionais, incluindo malas de mão, seleção de assentos e embarque prioritário, de acordo com The Hill.

O movimento enfrentou a reação de viajantes e funcionários, incluindo o senador Richard Blumenthal. "Puxar o plugue de regras que garantam que as companhias aéreas sejam abertas e honestas sobre as taxas de bagagens e outras cobranças é sobre o anti-consumidor", escreveu Blumenthal . “A reversão imprudente do Trump Admin é um presente para os resultados das companhias aéreas - e um tapa na cara para os viajantes que merecem clareza ao comprar um ingresso.”

O senador Bill Nelson assumiu uma posição semelhante, afirmando que "o governo está dando as costas aos passageiros das companhias aéreas pouco antes de as famílias estarem prestes a ir para casa nos feriados", informa o Washington Post .

Você também vai gostar: